Eurico Borba, Relexões sobre a Crise Global ......

Sociologia´, Política e Religião

Textos

As "Letras" precisam se preocupar com o futuro do Brasil
As "Letras" precisam se preocupar com o futuro do Brasil.

Não se trata de voltar com a discussão de qual seria a função da arte. Certamente as artes não podem ser instrumentos de uma ideologia ou de partidos políticos. Mas em situações extremas, como a que o Brasil vive no atual momento, é obrigação moral e histórica dos artistas, dos escritores, de assumir posições claras sobre o futuro que nos aguarda. Os nossos leitores, muitos desinformados, procuram orientações, reflexões, de tal forma que possam se posicionar com maior racionalidade frente ao quadro político, social e econômico no qual estamos vivendo.
Creio que é possível afirmar que fora da democracia, conquista histórica dos povos, não há saída. Não tolher a liberdade é outra verdade que não pode ser esquecida. A observância estrita da Constituição e das Leis é mandamento geralmente aceito. O dever da solidariedade e da justiça social são valores que se apresentam como imposições de sobrevivência, haja vista a proporção da catástrofe que se abateu sobre nós. A não violência é uma opção óbvia da convivência democrática, que se pretende cada vez mais aprimorada.
Alguns erros cometidos, nos últimos anos, sobre os quais não há muito o que discutir - são fatos amplamente divulgados - precisam ser extirpados e contidos, tais como: corrupção; incompetência específica na ocupação de cargos e posições de decisão e responsabilidade social no setor publico; violência física como método de atingir objetivos políticos; adesão à doutrinas que já foram rechaçadas mundialmente como anti-humanas e impróprias para a organização e o funcionamento das sociedades; a mentira como prática de relacionamento dos governantes para com o povo; estagnação econômica e insegurança publica.
Preocupa o desempenho do Congresso já que, o "supremo poder", é, atualmente, constituído, na sua maior parte, por idiotas irresponsáveis que não sabem explicar, sequer, o que e por que estão votando determinadas matérias. O Congresso Nacional é o lugar natural do encontro do querer e do saber nacional que, para que possam se concretizar em projetos justos e apropriados, precisam ser discutidos e aprovados por mulheres e homens, representantes do povo, competentes e honestos, não vulgares arrivistas e oportunistas.
As eleições, tanto para o poder legislativo como para o poder executivo, em todos os níveis - federal, estadual e municipal - não podem ser decididas pelo poder econômico, que contrata marqueteiros amorais que, utilizando-se de refinadas técnicas de psicologia, de pesquisas sociais e de marketing, vendem desde sabonetes até candidatos...
Acredito que nós que nos dedicamos às Letras temos a obrigação de refletir com o povo, com os nossos leitores, levantando questões, propondo reflexões, de tal forma que os nossos irmãos e irmãs possam chegar às próximas eleições gerais, (que espero que se realizem ainda este ano), elegendo "caras novas", honestas e competentes. Os que estão aí precisam ser afastados pelo voto, todos, (os poucos bons serão reeleitos). Só assim poderemos voltar a sonhar com melhores dias para o nosso sofrido e querido Brasil.

Eurico Borba
Aposentado, 75, ex professor da PUC RIO, ex Presidente do IBGE, escritor, mora em Ana Rech, Caxias do Sul, RS.
Eurico de Andrade Neves Borba
Enviado por Eurico de Andrade Neves Borba em 30/04/2016
Alterado em 30/04/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras