Eurico Borba, Relexões sobre a Crise Global ......

Sociologia´, Política e Religião

Textos

Sinuca de Bico
Sinuca de bico

Sinuca de bico...
Publicado no Blog Diário do Poder, Brasilia-DF, de 3/5/2016

No jogo de sinuca pode acontecer situação onde a bola da vez fica escondida atrás das outras, impedindo qualquer ação para ser alcançada. O pior é que a bola errada pode ser encaçapada... Chama-se a este instante de sinuca de bico, sem saída.
O Brasil, hoje, está assim: numa “sinuca de bico”. O deplorável PT saindo do governo quem o substituirá? O grupo que até o início de abril apoiava o governo se beneficiando de cargos e de “propinas”, por anos? É inaceitável. Só uma variável externa, sem nenhum compromisso com os atores em cena pode salvar a nação da trágica situação. Refiro-me a variável ética. Não a esta expressão vocal que a toda hora é invocada enchendo a boca dos parlapatões que comandam nossa política, como se a simples vocalização da palavra mágica lhes concedesse credibilidade.
Entenda-se a ética como disciplina filosófica que consiste em distinguir, com precisão, o bem do mal, proclamando tudo aquilo que é favorável à promoção da natureza humana e condenado tudo aquilo que lhe é contrário. Esta natureza, este bem e este mal, ainda hoje são aqueles mesmos valores sobre os quais se ergueu a civilização ocidental e tem suas raízes cravadas na pregação cristã. Mesmo agnóstica as sociedades atuais são cristãs nas suas culturas, instituições e expectativas. O pressuposto da dignidade essencial da pessoa humana é uma contribuição histórica do cristianismo ao processo civilizatório que ninguém, em tempo algum, por mais que tentem, vai conseguir fazer esquecer.
É à ética, assim entendida como radical crença individual e coletiva, que precisamos recorrer como ultima possibilidade de salvar o Brasil da atual conjuntura caótica, sem que soluções arbitrárias sejam, em desespero, abraçadas pelo povo desnorteado e sofredor. O eleitorado precisa incorporar na pratica do dia a dia de suas vidas estes valores morais sem os quais não há saída para a nação. Uma nação formada por cidadãos e cidadãs com alta densidade ética nas suas relações sociais, políticas e econômicas, reúne as condições iniciais para se transformar numa sociedade forte e destinada a um futuro promissor. Uma nação que só se refere à ética como uma palavra mágica capaz de exorcizar os males que a afligem sem, no entanto, praticá-la no cotidiano da vida da absoluta maioria dos seus membros é uma sociedade destinada ao fracasso. Tal densidade ética é o resultado de um continuado processo de educação integral de qualidade. É muito importante que o povo tenha plena consciência de que é o responsável pela porcaria que foi montada na política brasileira. Enganado pelos marqueteiros amorais, que vendem sabonetes e candidatos com refinadas técnicas de propaganda, este eleitorado precisa descobrir como se esclarecer de tal forma que possa eleger candidatos dignos e excelentes, pois, só assim, poderemos progredir e ter esperanças de tempos melhores.
  Se as pessoas se deixarem levar pela raiva com a situação a que chegamos, ou pela demagogia canalha que a maioria daqueles que abraçam a política adotam, de nada adiantarão quaisquer leis ou propostas de salvação nacional. O Poder Legislativo - o “supremo poder” - e o Poder Executivo no Brasil precisam ser constituídos com responsabilidade histórica a que em raros momentos somos chamados a nos pronunciar e decidir. Seria o nosso mais esplendido momento...
Certamente não serão os atuais partidos políticos e seus lideres, como, por exemplo, aquela maioria de ridículos idiotas que votaram, há poucos dias, o impeachment da Presidente na Câmara de Deputados, que irão ser capazes de traçarem o caminho da salvação nacional. Em março de 2015 já havia proposto, (O Globo de 4/4/2015), que se pensasse em eleições gerais para todos os cargos federais, no executivo e legislativo. Hoje repito, (agora acompanhado de muitos cidadãos e cidadãs que comungam do mesmo pensamento), que para escapar da “sinuca de bico” em que nos metemos, precisamos realizar eleições gerais imediatamente. Com “caras novas”, competentes e honestas, com poucos partidos representativos dos distintos matizes políticos, poderemos voltar a sonhar. Com este novo perfil dos eleitos e com a recente exitosa experiência coletiva de mobilização fiscalizatória ainda nas ruas, uma vez mais iniciaremos a reconstrução do Brasil democrático, justo e desenvolvido.

Eurico Borba, 75, escritor, mora em Ana Rech, Caxias do Sul, RS..

Eurico de Andrade Neves Borba
Enviado por Eurico de Andrade Neves Borba em 04/05/2016
Alterado em 06/05/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras