Eurico Borba, Relexões sobre a Crise Global ......

Sociologia´, Política e Religião

Textos

A CNBB está confundindo os católicos.


A CNBB está confundindo os católicos.
Publicado no jornal O Globo, RJ, de 21/11/2016.

                       A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em outubro passado, divulgou nota criticando fortemente a PEC 241, que trata de estabelecer um teto para as despesas do governo federal. A referida proposta de emenda constitucional está sendo duramente combatida pelo PT e alguns outros poucos partidos de uma esquerda ultrapassada.
Ao apoiar, anos atrás, o Partido dos Trabalhadores-PT que começava a se insinuar como sendo o único porta-voz da justiça social, da politica sadia e da moralidade publica, parte da Igreja acreditou e induziu milhões de fieis a aceitarem aquela proposta, ajudando o partido e ao seu líder a chegarem ao poder em 2003.
Agora, por décadas vamos sofrer com as consequências das erradas decisões sociais, politicas e econômicas. O Brasil foi destroçado – só os despreparados intelectualmente e os irresponsáveis se recusam a aceitar a evidencia dos fatos e das estatísticas.
Os leigos fazem politica, cuidam da economia e do funcionamento da sociedade - a Igreja indica os caminhos para a observância do Evangelho e da Lei Natural. A Igreja com a sua Doutrina Social, cada vez mais explicitada desde a Enciclica Rerum Novarum de 1891, aconselha os grandes princípios da moral e da justiça social, mas não faz nem pode fazer opções politicas partidárias. Não é esta a sua missão. São várias as indicações do Magistério oficial desde o Concílio Vaticano II na Constituição Pastoral Gaudium et Spes, (1965, nº 76) e nas Encíclicas Octogesima Adveniens, (1981, nº 48), Sollicitudo Rei Socialis, (1987, nº 41), Centesimus Annus, (1991, nº 43).
Parte da atual liderança da Igreja Católica, numa manifestação equivocada e indevida, passa a criticar os esforços que o atual governo está fazendo para tentar salvar o salvável, evitando que o povo mais humilde venha a sofrer ainda mais com o desemprego, com o não pagamento de salários e de aposentadorias dos funcionários públicos o que já está acontecendo em alguns estados, com a insegurança publica, com a educação de má qualidade, com a saúde publica precária, com o meio ambiente em acentuado processo de deterioração.
O PT começa a se aproveitar, (principalmente pela Internet), da ingenuidade de alguns membros da Igreja, tentando se reerguer depois da recente fragorosa derrota eleitoral, em todo o Brasil. O eleitorado sofrido e enganado não se esqueceu dos processos de corrupção que as lideranças do PT respondem. A Igreja Católica vai se juntar a este bando e mais uma vez colaborar com o erro e a mentira?
Por que os senhores Bispos não pedem o aconselhamento dos cientistas sociais das Universidades Católicas? Os professores das Universidades Católicas estão a serviço das elites? As Universidades Católicas não estariam habilitadas para assessorar a Igreja? Breve vamos enfrentar as imprescindíveis reformas da previdência social, da politica, da trabalhista. A Igreja também vai se intrometer dando palpites sobre detalhes técnicos que envolvem calculo atuarial, demografia, economia, etc.?  Voltará a insinuar que os “maus” que agora assumiram o poder estão maltratando e explorando os trabalhadores mais humildes e pobres?
Os senhores Bispos nunca foram veementes na condenação da incompetência e da corrupção que grassava no Estado brasileiro. Parecem não entender nem perceber a gravidade da crise nacional. Por favor, não se manifestem sobre detalhes técnicos de como proceder – este é o papel dos leigos comprometidos com a sua fé. Não contribuam, com suas proclamações equivocadas, para aumentar a confusão do Povo de Deus, fazendo crescer a impressão de que somos uma Igreja decadente.

Eurico Borba, 76, aposentado, ex-professor da PUC RIO, ex-Presidente do IBGE, mora em Ana Rech, Caxias do Sul, RS.

Eurico de Andrade Neves Borba
Enviado por Eurico de Andrade Neves Borba em 21/11/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras