Eurico Borba, Relexões sobre a Crise Global ......

Sociologia´, Política e Religião

Textos

A cidadania exige dignidade.
A cidadania exige dignidade.

Publicado no jornal Correio Riograndense, RS, de 30/11/2016.

Nós cristãos leigos estamos muito quietos frente ao caos moral e a anarquia institucional que está se instalando na sociedade. Não basta orar, ter compaixão, fé no Deus misericordioso “redentor dos homens”. Também é preciso testemunhar nossa fé na politica, na vida diária de uma sociedade. O Estado brasileiro é laico, mas os homens e mulheres que o compõem, na sua maioria, são fieis de alguma religião e devem, para serem coerentes com a sua crença, no dia a dia de suas vidas e profissões, praticar as orientações da fé que professam.
O processo democrático no Brasil aperfeiçoou-se. No entanto o povo brasileiro elegeu representantes que foram os responsáveis pela grave crise que agora estamos atravessando: a corrupção generalizada e a incompetência irresponsável se apossaram da pátria.
Nós o povo, a maioria do eleitorado, somos os culpados por esta insustentável situação. Fomos enganados? Fomos irresponsáveis? Fomos coniventes? Precisamos corrigir o erro praticado.
A democracia, fruto da genialidade da Civilização Ocidental, surgiu na Europa que, por sua vez, é resultado da pregação cristã. Assim sendo a Civilização Ocidental, nos seus fundamentos, é cristã. É a este substrato cristão que precisamos recorrer neste instante dramático para reencontrar os caminhos adequados ao espírito Humanista, aquele que confere a perspectiva da supremacia da dignidade da pessoa humana na construção da nação.
O Brasil nasceu neste contexto cultural e nele desenvolveu-se. Agora corre o risco de tudo perder por conta da ação de um bando de malfeitores que tomaram o poder político.
Por quê as Igrejas Cristãs estão caladas? Há muito tempo elas já deveriam estar a denunciar a corrupção, a incompetência instalada nos órgãos governamentais. Em outros momentos souberam se manifestar na defesa dos direitos humanos. A democracia, a liberdade, o ideal da justiça, da paz e da solidariedade são os mais belos frutos coletivos da pregação evangélica.
Cidadãos e cidadãs de todas as denominações religiosas e colorações politicas democráticas precisam se unir e exigir, não o apoio a partidos desmoralizados ou a nomes de lideranças ultrapassadas. Não. O que deve ser exigido é que os valores éticos que constituem nossa base cultural cristã sejam respeitados. Os candidatos não podem ser ladrões, não podem ser demagogos, não podem ser mal formados academicamente.
O que se exige é que a moralidade seja restaurada antes da aprovação de quaisquer planos para a salvação da economia, do meio ambiente, da segurança ou do emprego. A população brasileira sabe que sem a competência e a dignidade dos funcionários públicos, em todos os níveis – operadores que são da promoção do bem comum - nada de bom e de permanente será construído.

Eurico Borba, 76, aposentado, ex-professor e ex-Vice-Reitor da PUC RIO, ex-Presidente do IBGE, escritor, mora em Ana Rech, Caxias do Sul, RS.
Eurico de Andrade Neves Borba
Enviado por Eurico de Andrade Neves Borba em 02/12/2016
Alterado em 14/12/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras