Eurico Borba, Relexões sobre a Crise Global ......

Sociologia´, Política e Religião

Textos

A Música e as suas Notas
A Música e as Suas Notas




Querendo encontrar alguém que o escute,
o menino canta feliz
dizendo, atordoado, que descobriu
que as notas musicais estão por aí,
no ar
voando espalhadas,
no meio do silêncio,
prontas para serem tocadas,
cantadas,
é só saber juntá-las.


Aqui e acolá,
Lá,
as encontraremos soltas
pelo Cosmo afora, nas estrelas e      
no Sol, também.
Fá-lam de um Ré-quiem
composto por Deus
há Mi-lhões de anos.
Uma primeira composição,
para chorar
com Dó
a angústia da vida,
o pecado das suas criaturas,
tão sofridas,
tão perdidas...


Antes de tudo ter acontecido,
sequer existido,
à procura de criar o belo,
- plenitude da ordem e do bem,
pobre imitação de Si,
já que nem Ele pode mostrar o infinito que É,
Deus criou as notas musicais e as aspergiu pelo espaço.
A primeira explosão criadora
abençoando o infinito com o som que produziu.
Gesto extremo do pressentido desencanto, impotente,
da irreversível Criação
da liberdade que libertara
com a consciência dada a sua criatura mais querida
aquela que logo, num primeiro instante,
Lhe iria virar o rosto.


O som cósmico do rodopio das galáxias
foi o que primeiro uniu
as notas musicais,
dispersas na quietude cósmica.
Depois as estrelas explodindo em luzes,
a terra contorcendo-se,
gemendo com os vulcões
no parto dos vales, planícies, florestas, desertos e montanhas,
e os ventos fortes zunindo, pejados de chuva,
inseminando ventres diversos,
todos ansiosos em parir formas de vida.
A seguir vieram os pássaros,
pousados na pauta dos galhos das árvores,
ensinando a cantar, docemente,
no ritmo do balanço dos corpos,
os amantes
enquanto descobriam o amor.
Despudorados e suados,
sussurrando alto, muito alto,
cada vez mais alto,
êxtases e juras eternas,
desilusões abissais,
cantaram e seus corpos, como cordas e sopros vibrantes,
fizeram soar as primeiras sinfonias.
E por fim as criancinhas também,
sozinhas, rindo ou chorando,
chamando seus pais
para brincarem de roda,
cantando a canção do menino que,
no início,
queria, apenas, chamar a atenção...



(Publicado in Amada do Sonho, Frente Editora, 2001)

Eurico de Andrade Neves Borba
Enviado por Eurico de Andrade Neves Borba em 28/04/2008
Alterado em 04/01/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras